2 de setembro de 2014

Mudanças à vista!

É tempo de mudanças por aqui... e esse é o motivo de há tanto tempo não escrever e aparecer por aqui. 

A barriga cresce-cresce e logo nosso pequenino estará por aqui, talvez mais uns 45 dias. O quartinho está nos retoques finais { mostro fotos em breve } e as roupinhas esperam por um bom 'banho' nos próximos dias. Aos poucos tudo vai ficando pronto.

E não é só essa a mudança, meu ateliê também está ganhando novos ares em um novo espaço da casa. É provável que não fique totalmente pronto até o baby nascer, mas tenho alguns meses de licença maternidade até voltar ao trabalho em Março do próximo ano. O espaço será menor e por isso estou tendo que quebrar a cabeça para acomodar tudo. No momento ando meio de 'cabelos em pé' com tanta coisa fora do lugar e com a necessidade de reduzir espaço e 'coisas costurísticas'. Tenho buscado inspiração no Pinterest e abaixo seguem algumas ideias para me animar e colorir o novo ateliê.

Foto 1 | Meu novo espaço será mais ou menos como esse, em formato de U. Gostei da bancada...
Foto 2 | Amei a estante com nichos para deixar os tecidos à vista!
Foto 3 |  Lindo fundo para as prateleiras.
Foto 4 | Prateleiras... preciso! hehe
Foto 5 | Cores lindas... vermelho e azul.
Foto 6 | Linda parede azul.
Foto 7 | Mais um tom de azul lindo!
Foto 8 | Prateleiras, tom de azul, mesa de madeira... meu sonho!
Foto 9 | Gostei desse painel azul com espaço para pendurar muitas coisas úteis.
Foto 10 | Mais prateleiras e uma boa bancada para a máquina e a base de corte.
Foto 11 | Mais uma ideia de uso para o painel de eucatex furado.
Foto 12 | Cantinho aconchegante... como espero que fique o meu! =)
Essas e outras fotos, com suas respectivas fontes, estão disponíveis aqui:

Olhando essas fotos com esses cantinhos tão charmosos, coloridos e bem projetados, dá sim para me imaginar no novo 'cafofo-ateliê'... rs! Não adianta chorar pelo que ficou para trás pois os motivos que me fizeram mudar são muito nobres e especiais e sempre me lembro que ruim seria não ter mais espaço algum para costurar em casa junto com a minha família. Quando tudo estiver um pouco mais organizado mostro fotos do resultado.

"... esquecendo-me das coisas que atrás ficam, 
e avançando para as que estão diante de mim, 
prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana 
vocação de Deus em Cristo Jesus." 
Filipenses 3:13-14

Beijos,
Gi

17 de junho de 2014

Gerenciando retalhos de tecido

Começamos um trabalho separando o molde, escolhendo os tecidos, passando a ferro, cortando e costurando cada um deles por um longo tempo... No final, além de uma linda peça pronta, temos mais algumas sobras de tecido para a "coleção". Ou será que é só aqui no meu ateliê que isso acontece? Tenho certeza de que não é bem assim... rs!

E é justamente sobre esse assunto que escreveu Jeni Baker em sua coluna Stitching Notes para a última edição (nº 9) da revista Love Patchwork & Quilting (editora Future). Ela começa assim: "Hora de encarar os fatos... você precisa de um curso de gestão de retalhos!". Muito me identifiquei, e acredito que você também, tanto que resolvi fazer uma tradução descompromissada do texto e compartilhar aqui na intenção de trazer mais algumas dicas e sugestões preciosas de quem entende do assunto.

Fonte: https://www.flickr.com/photos/7636984@N03/480394594
"Retalhos de tecido - todas nós passamos por essa parte inevitável do processo de costura. Quando você começa a costurar pode até não estar pensando sobre a possibilidade dos retalhos, mas quanto mais costurar mais importante é ter um sistema de gestão dos mesmos. Eles podem muito rapidamente obter um volume gigante e ocupar uma surpreendente quantidade de espaço!

Armazenar retalhos de tecido é uma questão que pode ser resolvida de muitas maneiras diferentes. Eu, pessoalmente, tenho feito um pouco de tudo, desde a separação por cor e tamanho até por tipo de estampa. Ultimamente, o que tem funcionado bem para mim é simplesmente separá-los por tipo de estampa: sólidos todos juntos e as outras estampas armazenadas em conjunto. No entanto, a melhor maneira de armazenar depende de como você está planejando usá-los, e é aí que um sistema de gestão entra em jogo.

Planeje com antecedência - Como muitas coisas, penso que a parte mais importante da gestão de retalhos é ter um plano. Se os seus retalhos estão fora de controle, eu recomendaria ocupar algum tempo elaborando uma estratégia. Primeiro, considere o que gostaria de fazer com os seus tecidos. Há tantas opções! Você pode optar por planejar alguns projetos específicos, tomar uma decisão consciente de usá-los em um certo número de projetos, dar para uma amiga ou até mesmo vendê-los. Qualquer que seja a sua opção, tomar uma decisão fará com que o restante do seu planejamento seja mais fácil.

Usar ou perder - Se você tiver problemas para motivar-se a utilizar os retalhos como eu tenho, torne isso mais fácil: quando terminar um projeto, vá em frente e corte os retalhos em pedaços utilizáveis. Se você não tem em mente qualquer projeto, é bastante prático e útil cortá-los em quadrados de 2.5" ou 5" (são os tamanhos tradicionais dos chamados charm packs) junto com tiras de diferentes larguras. Quando for trabalhar com eles, a metade do trabalho já está feita!

Fonte: https://www.flickr.com/photos/35368186@N06/6760229445/
Eu uso meus retalhos para vários projetos, desde grandes colchas a pequenos coasters (porta-copos). Minha maneira favorita de usá-los é em bolsas e necessaires. Eu sou um pouco a "senhora bolsa" e adoro ter todos os tipos de pequenas necessaires e bolsinhas para colocar dentro da minha bolsa ou sacola - minha coleção está ficando um pouco ridícula, mas é divertido! Porém, com toda a honestidade reconheço que na maioria das vezes não uso os meus retalhos. Mas, em vez de guardá-los e me sentir culpada por isso, opto por dá-los - realmente é uma situação favorável para ambas as partes porque eu não preciso me preocupar com eles e eles ainda são amados e usados por quem recebe!"

Conheça mais e acompanhe o trabalho da talentosa Jeni Baker:
Blog | www.incolororder.com
Twitter | @jenib320
Facebook | In Color Order
Pinterest | Jeni Baker

Fonte: http://www.liberty.co.uk/blog/12437/guest-blog-kerry-green-sewing-portfolio-organiser/
Em breve farei uma nova postagem ensinando o passo a passo de um bloco com Nine-Patch desconstruído. É a técnica que estou usando na decoração do quartinho do meu pequenino e, além de encantadora e com um efeito super interessante, é fácil-fácil! Aguarde!

Beijos,
Gi

5 de junho de 2014

Turmas 4, 5 e 6

No mês de Maio tivemos 3 oficinas repletas de gente querida, muitas costurinhas, café quentinho e bolos gostosos! Vejam as fotos!

A Turma 4, com tema Capa Personalizada para Cadernos e Livros, aconteceu na tarde de sábado do dia 17 de maio com a presença de Roseli, Luana, Vanessa, Roberta, Fabíola e Juliana. Muito obrigada pela presença, meninas!!

A Turma 5, no dia 22 de maio, teve como tema as queridinhas Necessaires e seus segredinhos de acabamentos e colocação de zíper. Na primeira foto estão as duas peças confeccionadas em aula, uma necessaire mini e uma necessaire básica, e na foto seguinte a turma completa: Sara, Stellinha, eu, Maria de Lourdes e Pri. Muito obrigada pela presença, meninas!!


A Turma 6 aconteceu na semana passada, dia 29 de maio, e teve como tema as Capas Personalizadas para Cadernos e Livros. Não conseguimos tirar uma foto da turma toda reunida, mas seguem algumas fotos da peça feita, do kit com tecidos e projeto e das meninas em ação! Muito obrigada pela presença, Mari, Roseni, Tania, Mariana e Patricia!!





Aproveitando o embalo do post, gostaria de dar um retorno para quem tem entrado em contato comigo perguntando sobre a disponibilidade de venda dos kits de tecidos e dos moldes de projetos feitos nas oficinas. Infelizmente no momento não tenho condições de preparar os kits em maior quantidade e de adequar o projeto para uso fora das aulas... Quem sabe mais adiante isso seja possível! Mantenho vocês atualizadas sobre isso.

O Calendário de Oficinas deve ser atualizado em breve!

Beijos!
Gi

"Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor" .. Colossenses 3:23

23 de maio de 2014

Cozinha (e sala!) dos Sonhos

Só porque hoje é sexta, despeço-me da semana deixando com vocês a minha paixão do momento no quesito decoração de casa: a cozinha (e sala!) dos sonhos da Rita Lobo! Amo cada detalhe... Amo a cortina verde amarrada sem pretensão, amo a bancada de madeira, amo a parede verde escuro com riscos de giz, amo os pequenos utensílios das prateleiras, amo a parede cinza com pratinhos, amo a estante repleta de livros, amo o lustre pomposo sobre a mesa de jantar e amo, amo, amo, amo ao infinito o armário de "cubos" que vira praticamente um painel ao lado da mesa de jantar. 



E é justamente esse armário a minha inspiração pro final de semana... Como a família por aqui está crescendo, precisamos de mais espaço para guardar "as coisas de casa". A cozinha já está com as paredes completas (a não ser o desejo de arrancar os azulejos e pintar tudo com uma cor linda... rs!) e os quartos já têm armários cheios. Nossa saída será fazer sob medida um armário grande com cara de armário-painel "alá Rita Lobo" para compor a sala de jantar. A meta será tirar as medidas e desenhar os detalhes para depois chamar o santo-marceneiro Renato. Porque aqui a gente ataca até de arquiteta quando precisa! rs! 





Inspire-se você também! Não precisa ser uma grande transformação, não precisa gastar muito. Uma tinta colorida e um pincel na mão podem mudar a cara do seu quarto, da sala ou da cozinha. E que tal um tecido estampado para uma nova cortina na cozinha? E novas capas para as almofadas do sofá? Um charminho a mais para alegrar o final de semana com a família bem pertinho de você!

Beijos! Beijos!
Ótimo final de semana!
Gi

19 de maio de 2014

Feiras e Bazares: participar ou não?

Já faz um tempão que não escrevo para o Empreender com Amor... E para voltar em grande estilo escolhi um tema sobre o qual costumo receber diversas mensagens:  dúvidas e mais dúvidas sobre a participação em feiras e bazares. São muitos os questionamentos, mas no final das contas todos recaem sobre o básico: meu negócio (ou minha produção, minhas peças, eu mesma) é capaz ou não de participar de um evento?

Saber avaliar e dar uma resposta certeira para essa pergunta não é uma tarefa tão simples assim, por mais que possa parecer. Dos pequenos bazares aos grandes festivais, a decisão precisa ser bem pensada a fim de não causar estresse mental e físico e prejuízo financeiro para você e seu negócio. 

Quando surge um bazar ou uma feira em que há possibilidade (ou vontade) de eu participar, sempre me faço estas mesmas perguntas, sempre anoto no caderno as mesmas coisas. Penso que elas também podem te ajudar a ponderar sobre suas capacidades para estar 100% no dia do evento e responder a perguntinha básica do primeiro parágrafo. 

{ Créditos: Namolio }


{1}  Onde e que tipo de evento será? Por quantos dias? 

EVENTO PEQUENO | será um bazar na casa de uma amiga, para cerca de 6 a 10 artesãs expositoras, durante um sábado.
EVENTO MÉDIO | será um bazar ou pequena feira em um local maior, para mais de 10 artesãos expositores, por um ou dois dias.
EVENTO GRANDE | será uma feira ou festival de artesanato organizado por empresa especializada, para mais de 50 expositores (lojas varejistas, empresas de atacado, artesãos e afins), que durará cerca de 4 dias.

{2} Quanto vou precisar investir para participar: Terei que pagar pelo aluguel do stand ou pelo meu espaço físico? Terá algum custo rateado entre todos os participantes? 

Seus custos aumentarão proporcionalmente ao porte do evento. Nos pequenos eventos geralmente só rateamos custos de divulgação, alguns comes e bebes e alguma despesa que a dona da casa onde será o bazar terá. Nos eventos médios costumam ser necessários o aluguel do espaço físico ou o pagamento de taxa para usar o local, além de mesas e/ou tendas padronizadas, decoração e os custos de divulgação, como folders, banners, etc. Para as grandes feiras e festivais o aluguel do stand será inevitável. Atualmente os preços praticados ficam em torno de R$350,00 a R$500,00 pelo metro quadrado. Considerando que um stand padrão tem em torno de 6m² ou 9m²... faça as contas, serão pelo menos R$2.100,00. Nesses casos o ideal é encontrar outra(s) artesã(s) para dividir o espaço. Mas lembre-se, o valor do stand é só UM dos custos que você terá nos eventos desse porte. Também precisam ser considerados o transporte dos materiais e o seu próprio, acomodação e alimentação. 

{3} O que vou precisar providenciar de materiais de papelaria: Sacolas, embalagens, adesivos, cartões de visita, tags, folders, etc? Quanto vai custar e qual o prazo para ter tudo isso em mãos?

Pode parecer um item desnecessário... mas garanto, não é! Eles são indispensáveis durante qualquer tipo e tamanho de evento que você vá participar. Muitas vezes a pessoa passa pelo seu trabalho, olha e acaba não levando nada... naquela hora! Mas ela normalmente leva um cartão ou folder e às vezes acaba virando cliente mais tarde. Faça uma listinha de tudo que vai precisar, anote os custos e confira os prazos para providenciar com antecedência -- algumas gráficas demoram alguns dias úteis para entregar. DICA DE OURO: nunca deixe acabar seu estoque de cartões de visita e/ou folders.

{ Créditos: Namolio }


{4} Quantos dias faltam para o evento? Como está minha agenda de produção e encomendas até lá?

Antes de dar um “SIM” para aquele evento, veja quantos dias faltam para ele chegar e cheque sua agenda de produção e encomendas com as quais você já se comprometeu. Se você tem muita coisa pendente e o tempo é curto, talvez seja prudente recusar. 

{5} De acordo com o porte do evento, qual minha estimativa de produção: quantas peças preciso ter à venda para “encher” meu stand ou mesa? Quantas peças preciso vender para pagar os custos e ainda obter lucro?

Iludir-se com as vendas de um bazar ou feira é fácil... O evento termina, você faz as contas e vê que as vendas somaram uma quantia “X” bastante animadora. Então a realidade aparece quando dessa soma “X” é necessário subtrair os custos básicos de participação. Talvez fique mais fácil imaginar uma feira como uma loja física: de forma bem simples é possível dizer que, daquela bolsa vendida, “Q” é o custo fixo para manter a loja funcionando, “Y” é o custo da bolsa (seja para comprar do fornecedor ou para produzir você mesma) e “Z” é o lucro (seu ganho real, seu salário, ou como queria chamar). Tudo isso forma o preço do seu produto. Com base nisso você pode calcular quantas peças precisa produzir e vender para ter lucro. 

É claro que entram questões estéticas para compor seu espaço a fim de que ele não fique nem vazio demais nem muito abarrotado de coisas. Ambos não agradam clientes em potencial. Na medida do possível, sugiro testar em casa a montagem para ver como vai ficar e fazer os ajustes necessários.

{ Créditos: Namolio }
{6} O quê e quanto tenho de peças prontas? De acordo com os dias que faltam para o evento e com minha agenda, o que posso produzir até lá? Vai ser suficiente para suprir os custos e obter lucro de acordo com o que estimei na resposta acima?

Faça uma lista de todo o seu estoque de peças prontas. Se a quantidade for compatível com as questões levantadas no item {5}, ótimo! Se não são, pegue um calendário, marque o dia do evento e conte quantos dias úteis de trabalho você tem até lá. Vale lembrar das encomendas com as quais você já se comprometeu e marca-las no calendário a fim de ser o mais realista possível. 

{7} No dia do evento precisarei de alguém para me ajudar a carregar as coisas até o local? E durante o evento, é viável ficar sozinha ou preciso de alguém para me auxiliar nas vendas e a cuidar do espaço?

A resposta para isso é bastante rápida e prática. Se você precisará de ajuda e não tem quem te ajude, é prudente não participar. 

{8} Os organizadores do evento pedem alvará ou outro tipo de documentação que eu não tenha em mãos? Vou precisar emitir notas fiscais? 

Aqui entra um item delicado, as questões burocráticas. Se você tem um registro como Empreendedor Individual é mais fácil. Muitos registros já preveem a comercialização das peças fora do seu endereço comercial, como stands em geral. E mais, o Empreendedor Individual está isento da emissão de nota fiscal quando a venda é feita para pessoa física. Se o evento requer um alvará de funcionamento, basta ir até a prefeitura da cidade onde será o evento com seus documentos empresariais e solicitar seu alvará. Pessoas físicas (que não tem CNPJ) também podem solicitar alvará sem problemas. 

Se você não tem CNPJ e precisará emitir notas fiscais o ideal é dirigir-se antecipadamente à Secretaria da Fazenda do Estado onde será o evento e verificar os procedimentos legais para isso. 

{9} No local do evento tem sinal de internet? 

Hoje em dia ter acesso à internet durante eventos é primordial. Para quem faz uso dos aplicativos do PagSeguro ou PayPal pelo celular ou ipad pode perder vendas se o serviço de internet não estiver disponível. Verifique isso com antecedência para avisar seus clientes sobre os meios de pagamento que você estará aceitando. 

{ Créditos: Namolio }
A conversa foi longa, mas assim fico com a sensação de dever cumprido... Teria sido muito mais fácil aproveitar algumas ótimas oportunidades e fugir de outras que não eram apropriadas para o momento se eu tivesse ficado atenta a essas questões antes de tomar a decisão de participar ou não de um evento. Por isso espero muito que possam ser úteis.

Se você tem um evento em vista, se já ponderou tudo e decidiu participar, vá em frente! Será cansativo organizar tudo, produzir, montar o espaço, cuidar dele, desmontar... mas é tão empolgante, tão animado, que eu participaria de outros mil! .. rs! Ter contato "cara a cara" com as pessoas, ver como elas reagem ao seu espaço, ao seu produto, conversar, ser abraçada, abraçar, ouvir palavras queridas e carinhosas, tirar muitas fotos, receber muitas visitas... não tem preço! 

Com carinho,
Gi